2016
Entrevista 2016

A Energia que Cria História

A Energia que Cria História

CARLOS COELHO

Carlos Coelho é formado em Design e ao longo de 30 anos foi responsável por centenas de projetos de algumas das mais expressivas marcas portuguesas. Autor de diversos estudos sobre marcas, é ativista das marcas de Portugal, professor, colunista, comentador de televisão, autor e apresentador do programa de TV Imagi-Nação.

“O grande desafio foi energizar a Marca Galp em dois momentos diferentes da sua história: da história do País e da minha história profissional.”

O primeiro contacto com a Marca deu‑se em criança e muito antes de compreender que uma marcanão era apenas um nome ou um boneco pintado num camião cisterna de plástico, numa estrada da minha infância.

A Galp que conheceu era uma empresa pública, mas cheia de energia e, o melhor de tudo, cheia de história e para Carlos Coelho, nada melhor que trabalhar marcas que tenham história, criar‑lhe novos caminhos mas respeitando‑lhes o passado e a herança.

Carlos Coelho foi por duas vezes “maestro” das equipas que recriaram a marca Galp e que participaram na sua construção. Primeiro na sua empresa Novodesign/Brandia e depois na sua atual empresa Ivity. Foi responsável pela marca Galp, mas também pela criação da sua família de marcas extraordinárias: a deliciosa Tangerina, a sexy Pluma, a poderosa G‑force ou a mais avançada espécie de combustível, a Evologic. Todas marcas da sua vida.

Energizar a marca Galp em dois momentos diferentes da sua história – da história do País e da sua história profissional – constitui o maior desafio que recorda da sua participação.

Os desafios de trabalhar uma grande Marca são eles mesmos grandes. No primeiro projeto – Energia Positiva – tratava‑se de fazer a transição de uma cultura de marca industrial e estatal, para uma marca entusiasta, apostada na proximidade e na partilha do entusiasmo de uma economia em estado de graça. No segundo projeto – Energia cria Energia – o desafio foi fazer a transição de uma Galp ibérica para um player mundial do setor. Uma empresa integrada de energia com uma forte componente de exploração. Um ativador económico de um Portugal multinacional. Em ambos os casos esperava‑se que o trabalho de marca fosse o mais intemporal possível e assim o fizeram, com grande sucesso.

Numa palavra, aliás em mais que uma, Carlos Coelho define a Galp como:

Portugal. Parceria. Energia que cria Energia.

Ao longo de tanto tempo com a Galp aconteceram muitas histórias, muitos momentos extraordinários, mas decidiu partilhar uma que começou menos bem, como contributo para a coragem e a determinação das gerações vindouras. A dada altura foi necessário redesenhar todo o aparelho físico da distribuição . Tratava‑se de uma questão de skils de imagem de Marca, mas também de competências técnicas para levar a cabo um projeto desta natureza, num tempo‑recorde. Para essa tarefa tão especializada tinha sido contratada uma empresa inglesa, especialista, que apresentou uma proposta inqualificável. Na altura foram convidados a tomar conta do projeto, também nesta área. Depois de despedida por incompetência, a tal empresa, despediu‑se com a seguinte nota: “You will fail miserably.”

O sócio Paulo Rocha manteve esta frase no seu computador durante muito tempo. Este insulto teve o efeito inverso do desejado e serviu de tónico para fazer o projeto – ON‑BRAND, ON‑TIME, ON‑BUDGET, provando a energia criativa e a competência de dezenas de profissionais portugueses.

No futuro, vê a Marca como uma grande marca de Portugal no mundo.

“Fui por duas vezes, ‘maestro’ das equipas que recriaram a marca Galp, mas também [foi responsável] pela criação da sua família de marcas extraordinárias: a deliciosa Tangerina, a sexy Pluma, a poderosa G-force ou a mais avançada espécie de combustível, a Evologic. Todas Marcas da minha vida.”

 

A Galp utiliza cookies nos seus websites para te proporcionar uma melhor experiência de utilização.
Ao submeter este formulário aceitas e concordas com os Termos e Condições e com a Política de Privacidade.

Aceito